AUMENTO DA TAXA SELIC APÓS 6 ANOS

Qual o impacto no mercado imobiliário? (clique aqui)

Com as primeiras elevações da taxa Selic – taxa básica de juros da economia, após cerca de 6 anos de queda, cresce a expectativa sobre o que deve mudar no bolso dos brasileiros, e não seria diferente para o mercado imobiliário.

Seja para quem vai construir como para quem pretende comprar um imóvel, a Selic serve como referência dos juros para parte dos investimentos de renda fixa e para algumas operações de crédito, como o financiamento.

Aumentos da Selic tem o potencial de impactar as taxas cobradas nos empréstimos imobiliários, piorar as condições de crédito e alterar negativamente a atratividade do setor para investimentos.

Economistas da DataZAP, uma das maiores fontes de inteligência imobiliária do Brasil, acreditam que ainda levará algum tempo para que os efeitos do aumento dos juros básicos cheguem até o mercado imobiliário de forma mais significativa. “O dinamismo do setor imobiliário mostra-se sólido e, mesmo que os juros atinjam 5 ou 6% nos próximos anos, espera-se que os incentivos para a compra de imóveis continuem robustos”.

Assim, por se tratar do juros de curtíssimo prazo, a Selic não deverá provocar muitas mudanças significativas para investimentos, caso siga próxima da meta de 4,5% ao final de 2021.

De modo geral, na avaliação dos especialistas, a alta não é um sinal do encarecimento imediato do crédito imobiliário, e o investidor pode ver um impacto de curto prazo em ativos com maior oscilação de preços, como os Fundos Imobiliários.

Adão Kaliskievicz é investidor do ramo imobiliário, Corretor e Avaliador de Imóveis, Engenheiro e Bacharel em Direito.